Inicial Cultura

Projeto “Memória Coletiva e Patrimônio Cultural em Porecatu”

337
Compartilhar

Matéria publicada na Folha de Londrina registra a parceria entre a Secretaria Municipal de Cultura e Universidade Estadual de Londrina (UEL) através do projeto “Memória Coletiva e Patrimônio Cultural em Porecatu”. Desde 2008, alunos e colaboradores dos cursos de ciências sociais, história e arquitetura realizam entrevistas com moradores, oficinas em escolas e um levantamento dos bens culturais da cidade para preservar os fatos que marcaram os 70 anos do município.

A intenção do projeto é reunir os depoimentos em um livro que será entregue à prefeitura. Com a mobilização, integrantes do projeto e servidores do município já obtiveram algumas conquistas como a revitalização do museu municipal. O espaço reaberto para visitação ganhou exposições e salas com dezenas de objetos antigos doados pelos moradores.
“Para a população, de uma forma geral, tudo o que está relacionado à cultura é desnecessário, já que há problemas com saúde e educação, por exemplo. Eles não conseguem enxergar que a cultura pode te deixar menos doente e é também parte da educação. A primeira barreira que nós temos aqui é quebrar esse paradigma das pessoas de que a cultura não é importante”, ressalta o secretário municipal de Cultura, Marco Antônio Silva.

O prédio do museu foi um dos primeiros imóveis da cidade. Ele chegou a abrigar a prefeitura de Porecatu e tornou-se museu em 1987. O município espera receber doação de fotos, objetos e fitas de vídeo com imagens antigas para incrementar o acervo. Alunos da UEL vão ajudar a sistematizar o material. A reativação do cinema de Porecatu também faz parte dos planos da equipe. No entanto, o espaço é de propriedade particular.

“O projeto é importante para que se possa entender a produção cultural de uma cidade e as diferentes memórias. Se não houver essa reconstituição, você perde muito daquilo que foi produzido. O projeto é importante não só para preservar, mas também para notabilizar segmentos da sociedade que nunca foram notabilizados. A história oficial está aí, mas temos a possibilidade de ampliar essas versões”, afirma a coordenadora do projeto, professora Deise Maia.

Fonte: http://www.folhadelondrina.com.br/reportagem/projetos-de-extensao-resgate-da-memoria-coletiva-em-porecatu-996951.html
Fotos: Ricardo Chicarelli